Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, foi preso nesta manhã, 18, em Atibaia, São Paulo, num imóvel de Frederick Wasseff, advogado de Flávio e do presidente Jair Bolsonaro, e deve ser transferido ainda hoje para o Rio de Janeiro. Ele é investigado no esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A polícia disse que o casal estava na casa do advogado há cerca de um ano. Queiroz não ofereceu resistência e disse apenas que está muito doente. Sua mulher, Márcia Aguiar, também ex-assessora do hoje senador, também teve a prisão decretada pela justiça do Rio.

Queiroz é Policial Militar aposentado, suspeito de movimentar R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira considerada “atípica”, dados do relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf). Ele trabalhou por mais de dez anos para o filho do presidente Jair Bolsonaro antes de Flávio tomar posse como senador, no período em que ele era deputado estadual no Rio.

A operação, batizada de Anjo, cumpre ainda outras medidas autorizadas pela justiça relacionadas ao inquérito que investiga suposto esquema de rachadinha, em que servidores da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) devolveram parte de seus salários ao então deputado Flávio Bolsonaro, que exerceu mandato de 2003 a 2019. A ação contou com apoio do Ministério Público do Rio de Janeiro e do Ministério Público de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui